RedeCultural
INSCREVER
PESQUISAR
TOP DIVULGADORES
PERGUNTAR
CONVIDAR
E-MAIL
PASSWORD
Inscreva-se gratuitamente na RedeCultural para receber uma newsleter semanal personalizada e/ou divulgar eventos culturais.
Quanto mais rede,
mais cultural.
“HOW TO MAKE MUSIC FROM YOUR DAILY LIFE:...
Palestra e Outra
Última ocorrência:
// 26 de Abril de 2009
// MAC - Museu de Arte Contemporânea de Serralves
// Porto
// Gratuito
<< REGRESSAR À LISTA DE EVENTOS ANTERIOR <<
Calendário com as ocorrências deste evento (marcadas a cor-de-rosa):
Abril de 2009
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
 // “HOW TO MAKE MUSIC FROM YOUR DAILY LIFE: SOUNDS OF INTERIOR AND EXTERIOR EXPERIENCE IN THE WORK OF BLUE GENE TYRANNY, LUC FERRARI AND VIV CORRINGHAM” - ALAN LICHT
DESCRIÇÃOBiblioteca de Serralves
26 Abr, 18h30
Conferência
“How to make music from your daily life: sounds of interior and exterior experience in the work of Blue Gene Tyranny, Luc Ferrari and Viv Corringham”
ALAN LICHT
(conferência proferida em inglês)
Entrada gratuita

Nesta conferência serão examinados três trabalhos: Country Boy Country Dog de Blue Gerne Tyranny, Far West News de Luc Ferrari e Inside the Machine de Viv Corringham. Os três recorrem ao uso de ‘gravações de campo’ de experiências pessoais para criarem composições que reflectem quer o mundo interior quer o exterior. A peça de Tyranny aborda tanto o sentimento interno como o comportamento exteriorizado, pelo uso de sons recolhidos em situações dentro e fora de portas. Ferrari considera toda a sua obra autobiográfica, mesmo as peças instrumentais. Far West News, composta em
grande parte com gravações documentais de uma viagem ao sudoeste americano em 1999, será discutido nesta perspectiva. Por último, a obra de Corringham, tal como a de Ferrari, é centrada numa viagem pessoal, e ao ser intencionalmente criada para ser ouvida em auscultadores, sublinha a sua origem enquanto experiência na primeira pessoa, aparentando ter lugar no interior da cabeça do ouvinte.

Enquanto guitarrista, Alan Licht tem trabalhado com grandes e ilustres nomes da música experimental. Das lendas do free jazz Rashied Ali e Derek Bailey, aos magos da electrónica Fennesz e Jim O’Rourke, os mestres do ‘turntablism’ DJ Spooky e Christian Marclay, ou os veteranos da downtown nova-iorquina John Zorn e Rhys Chatham. Tem cinco álbuns editados com composições para fita magnética e guitarra, e as suas instalações com som e vídeo têm sido mostradas nos EUA e Europa. Fundou o Ensemble Text of Light com Lee Ranaldo dos Sonic Youth, um colectivo de formação variável dedicado à improvisação musical para projecções de filmes clássicos do cinema avant-garde. Licht foi o programador/curador da sala Tonic em Nova Iorque entre 2001 e o seu encerramento em 2007. Tem escrito extensivamente sobre arte para publicações como a WIRE, Modern Painters, Art Review, Film Coment, Sight & Sound, Premier, Village Voice, New York Sun, Time Out New York, entre outras. O seu primeiro livro, An Emotional Memoir of Martha Quinn, foi publicado em 2003 e o seu livro de 2007, Sound Art: Beyond Music, Between Categories, constitui o primeiro grande estudo publicado em inglês sobre as origens e o desenvolvimento deste campo transdisciplinar da criação artística conhecido como arte sonora.


O Ciclo DOCUMENTE-SE! prossegue em 2009, mantendo uma estrutura semelhante à da primeira edição em  2008 mas com um novo mote: Registos na primeira pessoa.

A iniciativa concretiza uma parceria entre o Departamento de Sociologia e o Instituto de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (DS-FLUP e IS-FLUP), o Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-ISCTE) e o Serviço de Artes Performativas da Fundação de Serralves, e revela uma reflexão crítica sobre as sociedades contemporâneas, em estreita articulação com uma heterogeneidade de formas de expressão artística.

Nesta segunda edição, o DOCUMENTE-SE! é enformado por um debate mais focalizado. Trata-se de propor uma reflexão acerca dos Registos na primeira pessoa: documentar o social a partir de registos assumidamente pessoais, e perspectivar o olhar dos sujeitos sobre as suas práticas, vivências e opções de vida. Estes olhares, necessariamente distintos, constituem um contributo precioso para compreender o social pelo enfoque singular. O indivíduo adquire a centralidade no registo, quer como objecto de interesse, quer como criador da representação. O actor social documenta-se pelo documento que recria. Propõe-se promover um conjunto de reflexões artísticas e científicas sobre os usos, as estéticas, as especificidades e as formas dos Registos na primeira pessoa.


Esta actividade pertence ao ciclo CICLO DOCUMENTE-SE! REGISTOS NA PRIMEIRA PESSOA

Fundação de Serralves
LOCALMAC - Museu de Arte Contemporânea de Serralves
MORADARua D. João de Castro, 210
DISTRITOPorto
E-MAILserralves@serralves.pt
WEBSITEhttp://www.serralves.pt/actividades/detalhes.php?id=1573
HORARIO18:30
CUSTOGratuito
DIVULGADORLeinadF
>> DENUNCIAR ESTE EVENTO OU AVISAR QUE ESTES DADOS NÃO ESTÃO CORRECTOS <<
>> PARTILHAR ESTE EVENTO NO FACEBOOK >>
<< REGRESSAR À LISTA DE EVENTOS ANTERIOR <<
 // PRÓXIMOS EVENTOS RELACIONADOS
18º CONGRESSO INTE...
Palestra e Workshop
// 23 de Novembro de 2017
// Legião da Boa VOntade
// Porto
// Gratuito
18º CONGRESSO INTE...
Palestra
// 23 de Novembro de 2017
// Legião da Boa Vontade
// Porto
// Gratuito
FAMILIAS ARGILOSAS
Workshop
// 12 de Novembro de 2017
// Museu do Vinho do pOrto
// Porto
// Não gratuito
Bibliofeira