RedeCultural
INSCREVER
PESQUISAR
TOP DIVULGADORES
PERGUNTAR
CONVIDAR
E-MAIL
PASSWORD
Inscreva-se gratuitamente na RedeCultural para receber uma newsleter semanal personalizada e/ou divulgar eventos culturais.
Quanto mais rede,
mais cultural.
NUNCA TE DISSE QUE CONHEÇO AS ALMAS BOAS...
Teatro
Última ocorrência:
// 04 de Dezembro de 2004
// Theatro Club
// Braga
// Gratuito
<< REGRESSAR À LISTA DE EVENTOS ANTERIOR <<
Calendário com as ocorrências deste evento (marcadas a cor-de-rosa):
Dezembro de 2004
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
 // NUNCA TE DISSE QUE CONHEÇO AS ALMAS BOAS PELO CALOR DAS MÃOS?
DESCRIÇÃOO texto, de Fernando Augusto, Menção Honrosa do Prémio CITAP/Amadora ’87, marca e cativa, desde logo, pela rudeza da linguagem. A personagem principal, Madalena (arrependida?), desnuda em palco a sua história… sem concessões.

Mesmo tendo como personagens prostitutas, chulos, madames e senhores de alta-roda... e anjos, o que se pretende é levar a cabo uma discussão e confronto entre o sonho (aquilo que queremos/desejamos) e a memória (aquilo que temos, e como lá chegámos). Tudo isto através do contar de uma história; a história de uma prostituta – Madalena.

As cumplicidades/antagonias e as intimidades são a base. As personagens são pedaços quase fotográficos, parte integrante de um todo que é a mente desta Madalena. Interessam mais enquanto provocadoras de reacções e imagens, do que por particularidades que demonstrem. E, na oposição entre a luz e a escuridão, entre a multiplicidade de cores e o negro, o espaço assume-se como vital. Imagens dos sonhos e memórias de Madalena, esta floresta urbana, fractura dos desejos, memórias e emoções, projecta uma(s) vida(s). Com algumas coisas que "batem certo"... com muito que "bate errado".

Entre a atmosfera e "pequeno mundo" que é o espectáculo e o "grande mundo" que é a nossa vida fora-palco, vemos em Madalena um reflexo (extremado é certo...) da desilusão das grandes multidões, das noites passadas em solidão, do doloroso ruído do silêncio que ensurdece. E, no fim... bem, no fim, nada.

Como dizia Milan Kundera, mais do que contar uma qualquer história ou apresentar personagens, interessa discutir a condição humana.
LOCALTheatro Club
MORADALg. António Lopes
DISTRITOBraga
E-MAILtpn@tpnivel.com
WEBSITEhttp://almasboas.tpnivel.com
HORARIO21:30
CUSTOGratuito
DIVULGADORTeatro Passagem de Nível
>> DENUNCIAR ESTE EVENTO OU AVISAR QUE ESTES DADOS NÃO ESTÃO CORRECTOS <<
>> PARTILHAR ESTE EVENTO NO FACEBOOK >>
<< REGRESSAR À LISTA DE EVENTOS ANTERIOR <<
Bibliofeira